Você já ouviu falar em cirurgia craniomaxilofacial?

Você já ouviu falar em cirurgia craniomaxilofacial?

Por: - Cirurgião Plástico - Departamento de Marketing da SBCP/SC - CRM 13519 | RQE 9876
Publicado em 11/11/2019

A cirurgia craniomaxilofacial (CCMF) é uma área de atuação médica, reconhecida pela Associação Médica Brasileira (AMB), desde 2005, entre as 56 áreas registradas atualmente. O principal objetivo da especialidade é o tratamento de doenças e deformidades do crânio e dos maxilares, por meio do diagnóstico e reabilitação de pacientes com lesões traumáticas, sequelas e malformações craniomaxilofaciais.

Ouça este conteúdo:

 

Com a resolução 1.634, de 2002, do Conselho Federal de Medicina (CFM), oficializou que, no Brasil, a cirurgia craniomaxilofacial pode ser exercida por profissionais formados em três áreas da especialidade médica: cirurgia plástica, otorrinolaringologista, e cirurgia de cabeça e pescoço. Cabe ressaltar que cada uma delas contribui com particularidades inerentes ao seu campo de atuação e, a depender do caso, podem atuar juntos multidisciplinarmente.

O período de formação complementar à medicina pode variar, visto que os profissionais precisam passar por 6 (seis) anos na faculdade de Medicina, 3 (três) para otorrinolaringologia, ou 5 (cinco) anos de especialização, sendo dois de cirurgia geral e três anos em cirurgia plástica ou cirurgia de cabeça e pescoço, além de mais um ano de aperfeiçoamento em cirurgia craniomaxilofacial. Ao todo, o profissional leva de dez a 12 anos em formação.

Dentro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o capítulo de CCMF foi criado em 1977 e, desde o início,  apresentou-se como uma importante atividade nessa área médica. Em 1994, criou-se a Sociedade Brasileira de CCMF, que passou a se chamar Associação Brasileira de CCMF, em 2008.

Quais os tratamentos da cirurgia craniomaxilofacial?

As principais condições tratadas na cirurgia craniomaxilofacial são:

  • deformidades dento-faciais, esqueléticas, bem como atividades integradas com ortodontistas e fonoaudiólogas, com a realização das cirurgias ortognáticas, funcionais e estéticas;
  • deformidades e malformações e congênitas craniofaciais não sindrômicas, incluindo fissuras lábio-palatinas, além de craniossinostoses, microssomias, fissuras craniofaciais atípicas, encefaloceles e demais condições;
  • deformidades congênitas sindrômicas, como as Síndromes de Crouzon, Apert, Pfeiffer, Seathre-Chotzen, Carpenter, Binder, Kleeblattschädel, etc;
  • tratamento de transtornos da articulação têmporo-mandibular (ATM);
  • tratamento dos transtornos do sono, como a síndrome da apneia-hipopneia obstrutiva do sono (SAHOS);
  • neoplasias benignas e malignas, tanto na oncologia quanto no acesso a técnicas de osteotomias e osteossínteses, além de demais reconstruções associadas;
  • anomalias vasculares na região;
  • novas tecnologias, em conjunto com empresas e instituições, para pesquisas de materiais, prototipagem de reconstruções, desenvolvimento de guias para osteotomias e osteossínteses, bem como placas, parafusos e próteses customizadas;
  • traumas craniofaciais e suas sequelas.

Esse último é o segmento que mais concentra potencial de crescimento dentro da CCMF, inclusive para cirurgiões plásticos. 

A complexidade dos casos exige uma abordagem mais ampla, que ultrapassa os limites de cada uma das áreas envolvidas isoladamente. Esse fator confere à cirurgia craniomaxilofacial um caráter multidisciplinar, pois vários outros tipos de profissionais são envolvidos no tratamento e atendimento aos portadores de deformidades craniofaciais. Além dos já citados, estão também incluídos geneticistas, pediatras, dentistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, entre outros.

Por ser tão abrangente, no sentido profissional, a gama de tratamentos também é bastante diversa. Cado caso deve ser examinado cuidadosamente durante a consulta médica para que se possa fazer um planejamento terapêutico adequado. Quase sempre, os tratamentos são longos, exigem a participação de mais de um profissional, de cirurgias complexas e vários procedimentos. Tudo para obter resultados bem-sucedido e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Pré e pós-operatório da cirurgia craniomaxilofacial

Ao submeter um paciente a qualquer tratamento cirúrgico craniomaxilofacial, o médico deve orientar quanto aos cuidados no pré e pós-operatório. Esses procedimentos são essenciais para garantir uma boa recuperação e auxiliar no tratamento.

Cuidados no pré-operatório

Durante o pré-operatório, o paciente deve:

  • usar roupas leves e confortáveis no dia da intervenção;
  • levar todos os exames, incluindo análises de sangue, urina, bem como radiografias relativas ao procedimento;
  • fazer jejum de, pelo menos, 8 horas para casos de anestesia geral;
  • não usar brincos, anéis, pulseiras, relógios, demais acessórios metálicos, bem como maquiagem e creme na pele antes da cirurgia;
  • não interromper o uso de medicamentos, somente quando recomendado pelo médico;
  • não fumar ou consumir álcool, por pelo menos 48 horas antes da cirurgia;
  • não ingerir medicamentos do tipo AAS (Ácido Acetil-Salicílico, por ex: aspirina), por até 7 dias antes da cirurgia.

Cuidados no pós-operatório

Após a cirurgia craniomaxilofacial, recomenda-se que o paciente:

  • resfrie a área da cirurgia, com o uso de bolsas de gelo, durante as primeiras 24 horas;
  • evite esforços físicos, como levantar objetos e praticar esportes por até 1 semana.
  • evite fumar, cuspir, lavar a boca e fazer bochechos nos primeiros dias;
  • lubrifique os lábios para não ocorrer rachaduras;
  • consuma alimentos líquidos ou pastosos, em temperatura fria ou gelada, durante os primeiros dias;
  • permaneça em repouso com a cabeça mais alta, em relação ao resto do corpo.
  • mantenha uma boa higienização bucal;
  • utilize corretamente os medicamentos prescritos pelo médico.

Para mais orientações e informações sobre a cirurgia craniomaxilofacial, busque pelos médicos certificados pela SBCP.

Conteúdo revisado por:
Cirurgião Plástico - Departamento de Marketing da SBCP/SC - CRM 13519 | RQE 9876

Formado em Medicina pela UnB e especialista em cirurgia plástica pela PUC-PR, o Dr. Guilherme Pintarelli é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e integrante do Departamento de Marketing e Mídias Digitais da SBCP-SC.   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.