Conheça a técnica de transplante capilar FUE

Conheça a técnica de transplante capilar FUE

Por: - Cirurgião Plástico - CRM-SC 21440 / RQE 16420
Publicado em 15/03/2019 - Atualizado 03/12/2019

Fruto dos recentes avanços tecnológicos, os transplantes capilares são uma solução efetiva e de longa duração para a calvície. A técnica FUE (sigla em inglês para folicular unit estraction e traduzido livremente como extração folicular por unidade) é considerada o procedimento mais avançado e seguro disponível.  

Como é o procedimento de transplante capilar?

Retiramos fio a fio de forma salteada, eliminando a cicatriz linear e os cortes. Essa retirada é feita através de um equipamento motorizado, punch – similar a uma agulha.

O transplante ocorre em etapas, sendo que após as unidades foliculares terem sido retiradas, analisamos cada uma para verificar sua integridade, já que a unidade precisa estar completa para crescer normalmente após a implantação. Cada unidade folicular é composta por 1 a 4 fios de cabelo e com auxílio de lupas e microscópios, reimplantamos um a um na região calva.

Vantagens da técnica FUE

Como principais vantagens desse procedimento estão os resultados naturais, sendo difícil perceber a diferença entre cabelos transplantados e não transplantados. Outra vantagem dessa técnica fio-a-fio, já que não deixa cicatriz, é poder retirar enxertos de outras partes do corpo, como tórax e barba.

O transplante de cabelo é considerado uma cirurgia ambulatorial de pequeno porte, sendo habitualmente realizada sob anestesia local com ou sem auxílio de sedação. Assim, a recuperação acontece de forma tranquila, sem dor e os pacientes podem retornar às suas atividades em 2 a 3 dias.

Após a realização do transplante, são tomadas simples medidas para o correto crescimento do cabelo, sendo que 95 a 97% dos fios corretamente implantados nascem. O cabelo uma vez implantado cresce naturalmente, sendo possível realizar cortes, tinturas e tratamentos.

Além disso, esse fio que é retirado da região posterior da cabeça e reimplantado em áreas como as entradas, não sofre influência hormonal, ou seja, não cai mais, garantindo um resultado definitivo. Ainda, o implante ou transplante é uma redistribuição dos fios, logo, quanto menor a área calva, maior é a cobertura e vice-e-versa.   

Por fim, a indicação correta de tratamentos, a precocidade em buscar ajuda e o engajamento do paciente com relação ao tratamento favorecem a boa evolução com um excelente resultado final.

Conteúdo revisado por:
Cirurgião Plástico - CRM-SC 21440 / RQE 16420

Membro de Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.