Câncer de Pele

Câncer de Pele

As lesões cancerígenas e demais lesões da pele podem ser removidas utilizando técnicas especializadas para preservar sua saúde e aparência.

Tratamento de Câncer de Pele

O tratamento pode requerer cirurgia para extração dos tumores e demais lesões da pele.

Embora nenhuma cirurgia fique sem cicatrizes, nesse caso o cirurgião plástico fará o possível para tratar a doença sem mudar radicalmente sua aparência.

Para algumas pessoas, o tratamento pode exigir mais de um procedimento para que se obtenham os melhores resultados.

Preparando-se para a cirurgia

Previamente à cirurgia, pode ser necessário:

  • fazer exames de laboratório ou avaliação médica;
  • tomar certos medicamentos ou ajustar os medicamentos atuais;
  • parar de fumar;
  • evitar tomar aspirina e alguns anti-inflamatórios, e medicamentos naturais, pois podem aumentar o sangramento.

O que acontece durante a cirurgia de Câncer de Pele?

Dependendo do tipo, do tamanho e da localização da lesão, há muitas maneiras de remover o câncer de pele e restaurar a sua aparência.

Etapa 1 – Anestesia

Durante o procedimento cirúrgico, são administrados alguns medicamentos, para o conforto do paciente. As opções incluem sedação intravenosa e anestesia geral. O médico recomendar qual é a melhor opção para cada caso.

Etapa 2 – Remoção

Uma lesão pequena pode ser removida com excisão − um procedimento cirúrgico simples para remover a lesão da pele.

Porém, o câncer de pele pode ser como um iceberg: o que é visível na superfície da pele, por vezes, é apenas uma pequena parte do tumor. Por baixo da cútis, as células cancerígenas cobrem uma região muito maior e não há fronteiras definidas. Nestes casos, uma técnica especializada chamada cirurgia de Mohs pode ser recomendada. O cirurgião plástico também pode recomendar uma seção de congelamento. Neste procedimento, a lesão cancerígena é removida e microscopicamente examinada por um patologista antes do fechamento da ferida para assegurar que todas as células cancerígenas tenham sido removidas. O objetivo é encontrar uma margem clara – área onde o câncer de pele não tenha se espalhado – antes de reconstruir a ferida. Caso as margens claras não estejam presentes, o cirurgião plástico remove mais tecidos, até que toda a região tenha uma margem clara.

Etapa 3 – Reconstrução

Uma lesão grande ou lesão que tenha sido removida em seções congeladas podem ser reconstruídas com retalho local. O retalho também pode ser necessário onde a excisão tenha resultado numa aparência desfigurada. O retalho local reposiciona tecido saudável adjacente sobre a ferida. A linha de sutura é posicionada, seguindo os vincos e as curvas naturais da face, se possível, para minimizar a aparência da cicatriz resultante. Um enxerto de pele (pele saudável retirada de uma área do corpo e transferida para o local da ferida) também pode ser aplicado, conforme o caso.

Etapa 4 – Resultados

Após a remoção do câncer de pele e a finalização das reconstruções primárias, um curativo será aplicado nas incisões.

Recuperação pós-operatória

Após a cirurgia, os locais da incisão podem ficar doloridos, vermelhos ou drenar pequenas quantidades de líquido.

É importante seguir todas as orientações dadas pelo cirurgião tais como cuidados com a ferida, limpeza e aplicação de medicamentos tópicos.

É possível retornar a atividades leves já no dia da cirurgia.

O local da incisão deve estar sempre limpo e bem protegido de uma possível lesão.

Uma última recomendação é limitar o movimento que possa forçar o ferimento e as suturas.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica