Qual é a diferença entre mamoplastia de aumento e mastopexia?

Qual é a diferença entre mamoplastia de aumento e mastopexia?

10/11/2016

A variedade de opções de cirurgias plásticas para a região das mamas tende a confundir as mulheres sobre qual procedimento escolher e qual é o mais adequado para cada caso. A confusão entre a mamoplastia de aumento e a mastopexia, também conhecida como lifting mamário, é recorrente, mas elas não servem ao mesmo propósito e tampouco são feitas da mesma forma. Entender a diferença entre mamoplastia de aumento e mastopexia é o primeiro passo para minimizar os riscos, ter uma recuperação bem-sucedida e obter os melhores resultados possíveis.

A diferença entre mamoplastia de aumento e mastopexia está em uma palavra: volume

A mamoplastia de aumento consiste na utilização de implantes de silicone para dar ou restaurar o volume mamário perdido e garantir mais firmeza. A técnica pode ser usada por quem tem mamas pequenas ou quando houver diminuição do tamanho devido à gravidez ou à perda de peso. Em busca das mamas perfeitas, muitas mulheres recorrem, inicialmente, a este procedimento, que acaba sendo o mais conhecido entre os dois. Entretanto, a técnica da mamoplastia de aumento não resolve o problema das mamas caídas. Neste caso, é preciso realizar um reposicionamento e isso é feito com a mastopexia.

A mastopexia corresponde à correção de flacidez das mamas sem retirar ou aumentar o volume, reposicionando a aréola e o tecido mamário. A flacidez pode surgir devido ao envelhecimento, à gravidez e amamentação, oscilações de peso, ação da gravidade e hereditariedade.

Quando as duas são realizadas em conjunto (mastopexia com prótese), é feita: a correção da flacidez, a retirada do excesso de pele e a colocação de uma prótese de silicone. Dependendo dos objetivos da paciente e de seu grau de flacidez, pode ser mais seguro dividir os procedimentos em duas etapas para permitir que o corpo se recupere melhor. Esta decisão, feita sob avaliação de um especialista, diminui o risco de complicações como a ruptura da pele, a redução de sensibilidade ou a perda total do mamilo.

Independentemente da técnica, as duas cirurgias são indicadas para restaurar a forma das mamas e manter o equilíbrio do corpo, proporcionando autoestima e autoconfiança.

Pós-operatório das cirurgias para as mamas

O pós-operatório para qualquer tipo de intervenção cirúrgica nas mamas é bastante semelhante. As recomendações para uma recuperação rápida e saudável incluem:

  • retirar os pontos no período de sete a 15 dias após a cirurgia;
  • usar um sutiã especial para sustentação durante um mês, para imobilizar a região e auxiliar na cicatrização;
  • permanecer com curativos por 30 a 60 dias;
  • evitar esforços, carregar peso e praticar exercícios físicos por 30 dias;
  • dirigir apenas depois de 30 dias;
  • evitar a exposição direta ao sol também por 30 dias.

A única pessoa capacitada para avaliar qual é o procedimento mais adequado em cada caso e quais seriam as condições da cirurgia escolhida é o profissional membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Busque um cirurgião plástico certificado para ajudar a definir qual cirurgia é a ideal.