Mitos e verdades sobre cirurgia plástica

Mitos e verdades sobre cirurgia plástica

05/06/2017

De acordo com dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS, na sigla em inglês), mais de dois milhões de cirurgias plásticas são realizadas no Brasil a cada ano. Isso nos coloca em segundo lugar no ranking de países que mais fazem esse tipo de procedimento no mundo, atrás, apenas, dos Estados Unidos. Dentre as cirurgias, a lipoaspiração e a mamoplastia de aumento aparecem como as mais realizadas.

Por isso, é interessante checar algumas informações bastante difundidas e identificar os mitos e verdades sobre cirurgia plástica antes de começar a pesquisar sobre um procedimento específico.

Você sabia? Alguns mitos e verdades sobre cirurgia plástica

Mulheres ainda fazem mais cirurgia plástica do que homens.

Verdade. De acordo com o último relatório da ISAPS, as mulheres realizaram mais de 18 milhões de procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos em 2015 no mundo (mais de 85% do total de cirurgias). Os homens, por sua vez, foram responsáveis pela realização de mais de três milhões de procedimentos (apenas 14% do total).

No entanto, é correto afirmar que, no Brasil, nos últimos anos, o número de homens que se submeteram a cirurgias plásticas quadruplicou, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Cirurgia plástica não exige preparação.

Mito. Em qualquer intervenção cirúrgica ou não-cirúrgica, deve-se avaliar o paciente como um todo, conhecer seu histórico médico, solicitar a realização de exames, a suspensão de medicamentos e, às vezes, até recomendar um acompanhamento psicológico.

Sedentarismo e uso de alguns medicamentos interferem na realização e no sucesso da cirurgia plástica.

Verdade. Obesidade, sedentarismo, presença de doenças (crônicas ou não), uso de substâncias, anticoncepcionais, álcool, cigarro e outras drogas aumentam consideravelmente os riscos e podem interferir nos procedimentos.

Lipoaspiração ajuda a perder peso.

Mito. A lipoaspiração é indicada para remover a gordura localizada que não desaparece com mudança na alimentação, realização de atividade física e emagrecimento prévio. A cirurgia serve para modelar o contorno corporal e interfere muito pouco no peso do paciente.

A mamoplastia redutora, realizada em mulheres, também é realizada em homens que desejam reduzir as mamas.
Mito. Existe um procedimento específico para os homens, nesse caso. Ele se chama ginecomastia e pode ser realizado de forma similar ou distinta ao das mulheres.

Cirurgia plástica não tem relação com transtornos mentais e autoestima.

Mito. Na maioria das vezes, pessoas que buscam a cirurgia plástica possuem transtornos relacionados à aparência tão ou mais importantes que doenças orgânicas. E, apesar de a cirurgia ser um fator muito importante na melhora da autoestima, ela não deve ser uma medida isolada. O paciente deve prezar por uma vida saudável e cuidar de si, física e emocionalmente, para que os resultados do procedimento não sejam frustrados.

Uma cirurgia plástica nunca deve ser realizada sem motivos coerentes e reais. Por isso, é importante que o paciente se pergunte sobre suas queixas, até que ponto sua felicidade depende desse detalhe físico e se a imagem que tem de si mesmo condiz com a realidade.

O ser humano tende a depositar, em aspectos corporais, importância e responsabilidades irreais, devido aos padrões que nos são incutidos através da cultura e da sociedade. Por isso, é preciso refletir muito e amadurecer no processo de autoaceitação. Caso, depois disso, a cirurgia ainda seja um fator importante para a melhora da autoestima, é possível considerar realizá-la.

Cirurgia plástica serve, exclusivamente, para melhorar a aparência.

Mito. Existem muitos exemplos de procedimentos usados para reparar ou melhorar funções específicas e a saúde como um todo (não só a física, mas também a emocional), como a rinoplastia, a reconstrução mamária, a otoplastia, a correção de lábio leporino, entre outros.

Converse com seu médico de confiança a respeito de outros mitos e verdades sobre cirurgia plástica. Informar-se é fundamental.