Grávidas podem fazer cirurgia plástica?

Grávidas podem fazer cirurgia plástica?

03/01/2018

Uma dúvida bastante comum é se as mulheres que estão grávidas podem fazer cirurgia plástica. E o questionamento não é à toa. Não é nenhuma novidade que a gestação requer cuidados relativos à saúde da mãe e do bebê.

Na realidade, a resposta encontra-se nas particularidades de cada paciente. Apesar disso, a orientação geral dos médicos cirurgiões é a de adiar os procedimentos cirúrgicos para depois do fim da amamentação. A não ser que a gestante tenha algum problema grave e a cirurgia seja fundamental para que ela e/ou o bebê sobrevivam.

Grávidas podem fazer cirurgia plástica apenas em casos específicos

Como dito anteriormente, em determinados casos, grávidas podem fazer cirurgia plástica. Mas todo o procedimento cirúrgico envolve riscos que podem ser potencializados durante o período de gravidez. Isso porque o organismo da gestante passa por diversas transformações nessa fase.

Dificilmente uma cirurgia plástica é recomendada no período de gestação. Mesmo os procedimentos mais leves devem ser considerados com extrema cautela. As possibilidades de complicações nas cirurgias plásticas mais comuns são relativamente pequenas, mesmo assim, deve-se evitar aplicações de qualquer tipo, como os ácidos, ou mesmo a utilização de remédios que tenham efeitos hemodinâmicos, como a lidocaína, em gestantes.

Outro exemplo é que a maioria das pacientes ganha peso durante a gestação e não precisam de mais volume em seus rostos. A literatura médica mostra que o uso de neurotoxinas também não é recomendado durante a gravidez.

O que é aceitável, de acordo com os padrões médicos, são procedimentos suaves, tópicos, no máximo. Mesmo assim, são feitos com moderação, para combater reações hormonais como o melasma, que é uma descoloração facial da pele bastante comum em mulheres grávidas.

O foco no desenvolvimento e na saúde do bebê é a prioridade. É após a gestação que a cirurgia plástica auxilia, e muito, as mulheres. É neste momento que um cirurgião plástico atua e contribui com segurança.

Cirurgias normalmente realizadas após a gravidez

Mamoplastia (aumento e redução) e mastopexia

A mamoplastia é o nome dado à cirurgia plástica feita nas mamas, seja de aumento (com utilização de implantes de silicone) ou de redução.

As mamas representam, para a mulher, grande parte de sua feminilidade, sexualidade e beleza. E a melhora da sua forma foi sempre um objetivo da cirurgia plástica. Atualmente, graças ao desenvolvimento de inúmeras técnicas, é possível atingir níveis de satisfação e resultados excelentes.

Já a mastopexia é conhecida como a cirurgia de elevação das mamas. Esta é uma técnica que reduz a flacidez e reverte o caimento natural das mamas (ptose mamária). Além disso, reposiciona a aréola, elevando-as até sua posição original e promovendo sua simetria.

Lipoaspiração

A lipoaspiração é indicada para retirar o excesso de gordura localizada em uma determinada área do corpo, como barriga, coxas, flancos, costas ou braços, ajudando a melhorar o contorno corporal.

Abdominoplastia

A abdominoplastia fica reservada às pacientes que ganharam muito peso durante a gestação ou que iniciaram a gravidez já com mais quilos do que o recomendado e, como consequência, tiveram a musculatura abdominal afastada (diástase), e um grande excedente de pele.