É necessário fazer reconstrução mamária?

É necessário fazer reconstrução mamária?

29/04/2017

Essa pergunta já foi respondida de forma simples pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP): “a reconstrução mamária é um procedimento individualizado. Você deve fazê-lo para si mesma, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para tentar se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal”.

A mulher é quem deve decidir se sente vontade de reconstruir a mama após a retirada do câncer ou depois de alguma lesão nas mamas. Normalmente, quando as mulheres optam por essa cirurgia, elas buscam uma melhor qualidade de vida e aumentar sua autoestima.

Existem alguns fatores que podem influenciar na decisão de realizar o procedimento e do momento mais adequado para passar pela cirurgia. É importante que a mulher esteja com o emocional estável e não possua doenças que atrapalhem a recuperação e a cicatrização. Além disso, é essencial que a paciente tenha expectativas reais em relação ao resultado da cirurgia.

A reconstrução pode ser feita em uma ou em ambas as mamas, dependendo da situação. Caso a lesão ou o câncer tenha prejudicado apenas uma das mamas, apenas a mama afetada é reconstruída. Após o procedimento, as mamas podem não ficar simétricas e a mulher pode não se sentir confortável com o resultado. Quando isso acontece, cirurgias como a mamoplastia redutora, de aumento e a mastopexia podem ser indicadas pelo médico que acompanha a paciente para solucionar a questão.

Técnicas utilizadas para a reconstrução mamária

O médico especialista é quem decide qual técnica de reconstrução mamária é a mais adequada para cada paciente, em conjunto com ela, baseando-se na forma da mama e no tipo de mastectomia que foi realizada.

É importante lembrar que a cirurgia de reconstrução pode ser feita no mesmo momento da mastectomia ou, dependendo do estado de saúde da paciente, pode ser adiada para que ela tenha tempo de se recuperar dos procedimentos realizados antes de fazer uma nova operação.

Entre as técnicas utilizadas na reconstrução da mama estão:

Próteses de silicone

Podem ser utilizadas quando a pele é preservada nas cirurgias de mastectomia. Assim, a prótese dá mais volume à mama.

Normalmente, nesse tipo de reconstrução, a prótese já é colocada no momento da retirada do câncer, quando a paciente apresenta boa condição de saúde.

Expansores

Os expansores são utilizados quando a pele que restou após a mastectomia não recobre a prótese. O expansor é inserido sob a pele e é inflado com soro fisiológico gradativamente, até atingir o tamanho esperado da mama. Existem expansores definitivos e outros provisórios que, depois de um período, são substituídos por implantes definitivos.

Técnicas de retalhos com músculo, gordura e pele da paciente

Essa técnica, geralmente, é escolhida quando não existe uma quantidade suficiente de tecido na parede torácica da paciente. Assim, não é possível cobrir e sustentar o implante que seria feito na mama.

Normalmente os segmentos de pele são retirados da região abdominal ou dorsal do corpo quando essa é a técnica utilizada para a reconstrução da mama.