Conheça a cirurgia para síndrome do túnel do carpo

Conheça a cirurgia para síndrome do túnel do carpo

29/05/2017

A síndrome do túnel do carpo (ou do túnel carpal) é uma doença causada pela compressão do nervo mediano, localizado no punho e responsável pelo suprimento nervoso da região externa da mão. A condição é relativamente comum, mas surge com mais frequência em mulheres, especialmente nas obesas. Os sintomas clássicos são dor, formigamento e perda de sensibilidade na área atendida pelo nervo.

Quando não tratada, a doença pode evoluir e levar a alterações motoras, como fraqueza para movimentar os dedos e, até, incapacidade de segurar objetos. Por isso, é importante dar atenção à condição.

A cirurgia para síndrome do túnel do carpo, também chamada de cirurgia de mão, é indicada em casos moderados e graves da doença que não obtiveram melhora com outras terapêuticas. Esse tipo de cirurgia é realizada para o tratamento de condições que causem dor e prejudiquem a força, a função e a flexibilidade do punho e dos dedos.

É importante ressaltar que, além de todos os riscos que a cirurgia de mão apresenta, comuns a qualquer procedimento cirúrgico, em caso de tratamento da síndrome do túnel do carpo, existe a possibilidade de haver pouca melhora clínica e de recorrência da doença.

Como a cirurgia para síndrome do túnel do carpo é realizada

O objetivo da cirurgia para síndrome do túnel do carpo é aliviar a pressão sobre o nervo mediano para reparar a condição. Para isso, depois de aplicada a anestesia, uma incisão é feita a partir do meio da palma da mão até o punho. Uma alternativa é a liberação endoscópica do túnel do carpo, com cortes menores e uso de um pequeno tubo flexível que contém luz e câmera.

Depois do procedimento, ataduras podem ser aplicadas, para manter o local limpo, e talas podem ser utilizadas, quando necessário.

As instruções pós-operatórias incluem limpeza, uso dos medicamentos prescritos e exercícios de fisioterapia para a mão, recurso fundamental para restaurar a flexibilidade, a força e o movimento. Caso o paciente volte a usar a(s) mão(s) operada(s), em sua função total, muito rapidamente, o risco de recorrência da síndrome é maior. O tratamento deve ser continuado com fisioterapia e retorno periódico ao cirurgião plástico para acompanhamento.

Os resultados finais da cirurgia para síndrome do túnel do carpo podem revelar-se, apenas, depois de vários meses, conforme o inchaço diminui e as recomendações para o pós-operatório forem sendo seguidas, mas eles não podem ser totalmente previstos.

Caso o procedimento tenha sido realizado através de microcirurgia, um ano é o prazo estimado para a restauração completa da função da mão. Alterar hábitos de trabalho, como movimentos repetitivos ou que imponham pressão sobre mãos e punhos, flexões e/ou extensões prolongadas, é importante para a melhora a longo prazo.