Como funciona a cirurgia de orelha?

Como funciona a cirurgia de orelha?

05/02/2017

A cirurgia de orelha, chamada de otoplastia, é indicada para melhorar a forma, a posição ou as proporções das orelhas quando a malformação causa incômodo. O procedimento corrige um defeito na estrutura presente desde o nascimento, mas que se torna mais aparente com o crescimento, e também trata deformidades causadas por lesão. A otoplastia tem o objetivo de proporcionar mais harmonia e equilíbrio à face através da correção das orelhas.

O tratamento é indicado para orelhas muito grandes e/ou salientes (em um ou ambos os lados, em diferentes graus, não associados à perda auditiva) e pode ser realizado a partir dos cinco anos em crianças saudáveis, sem doença com risco de morte ou infecções crônicas não tratadas de ouvido (a idade mínima pode variar dependendo da estabilidade da cartilagem da orelha).

Antes de serem submetidas à cirurgia, as crianças devem manifestar consentimento em relação ao procedimento, saber expressar objeções e seguir as recomendações médicas. A otoplastia também pode ser realizada em adolescentes e adultos, desde que estejam saudáveis e não fumem.

Os riscos do procedimento incluem sangramento, assimetria, infecção, má cicatrização, alteração na sensibilidade da pele, possibilidade de nova cirurgia, entre outros. Por essa razão, o paciente ou seus responsáveis devem assinar um termo de consentimento assegurando plena compreensão dos riscos e complicações. Perguntar, tirar dúvidas e dividir sentimentos relacionados à cirurgia com o médico é um direito do paciente. Quem considerar necessário pode realizar um acompanhamento psicológico.

O que acontece durante a cirurgia de orelha

Depois de aplicada a anestesia, são feitas incisões, geralmente na parte de trás da orelha. Uma sutura não removível é utilizada para criar e fixar uma cartilagem recém-moldada. Os cortes são fechados com pontos externos. Após a cirurgia, bandagens ou curativos são aplicados sobre o local para mantê-lo limpo, protegê-lo de trauma e para sustentar a nova posição da orelha durante a cicatrização inicial.

Os resultados são quase imediatos em casos de orelhas em abano e aparecem assim que os curativos são removidos. As cicatrizes cirúrgicas ficam escondidas atrás da orelha ou em suas dobras naturais. No caso das cirurgias de reconstrução, os resultados podem levar um pouco mais de tempo para aparecer.

É normal que haja desconforto logo após a cirurgia de orelha, mas ele pode ser controlado com medicação para dor. Pode haver sensação de coceira sob as ataduras, porém, é importante que permaneçam intactas e não sejam removidas de modo algum. Caso essa recomendação não seja seguida, pode ser necessário realizar uma nova cirurgia.