Cirurgia plástica e autoestima: há relação?

Cirurgia plástica e autoestima: há relação?

18/08/2016

Quais são os motivos que levam uma pessoa a fazer uma cirurgia plástica? Diversos. Geralmente o desejo de fazer um procedimento para alterar a aparência ou o formato do corpo está relacionado à autoestima. Aliás, cirurgia plástica e autoestima são sinônimos para muitas pessoas que acreditam que um cirurgião plástico é capaz de ajudá-los a resolver seus problemas com a autoimagem.

Às vezes, é mesmo. A cirurgia plástica é uma operação que detém riscos, mas também gera benefícios tanto estéticos quanto para a autoestima. E a autoestima é tão importante para a saúde quanto a alimentação saudável e a prática de exercícios físicos.

Pessoas com boa autoestima sentem-se mais motivadas para cuidar de si. Como consequência, têm menor chance de sofrer de depressão, por exemplo, e outros problemas relacionados à autoimagem, como o isolamento social.

Cirurgia plástica e autoestima são aliadas do bem-estar

Há bons motivos pelos quais a cirurgia plástica é uma boa alternativa para as pessoas melhorarem a visão de si mesmos. Antes de se submeter a um procedimento, essas razões devem ser bem ponderadas para que a operação seja feita pela razão certa. Procurar um cirurgião plástico para alterar um mero detalhe não é recomendado, nem incentivado pelos especialistas que levam a profissão a sério.

É hora de buscar um cirurgião plástico para promover mudanças na aparência quando o incômodo é tanto que provoca alterações no comportamento e nos hábitos para evitar a exposição. Por exemplo, quando uma criança com orelhas em abano não quer mais ir para a escola ou sair de casa devido ao bullying ou por receio deste, os pais podem considerar se não é o momento de corrigir o problema por intermédio da otoplastia (cirurgia para correção das orelhas em abano).

O que considerar ao optar pela cirurgia plástica

É preciso ter muito cuidado ao decidir fazer uma cirurgia plástica. A maior parte dos procedimentos são cirúrgicos e envolvem riscos e complicações. Alguns podem ser agravados quando a pessoa detém o hábito de ingerir bebidas alcoólicas ou fumar, está acima do peso ou possui alguma doença crônica.

Mesmo os procedimentos mais simples podem deixar cicatrizes pequenas na pele. Isso também precisa ser considerado por quem pensa em fazer uma plástica. A pessoa também precisa estar disposta a passar por uma avaliação médica completa. Isso inclui realizar testes diagnósticos, exames radiológicos, avaliações cardiológicas e clínicas. O processo todo pode ser concluído em apenas uma semana ou precisar de um mês para ser finalizado.

Há ainda a necessidade de informar-se detalhadamente sobre a cirurgia, principalmente em relação aos cuidados essenciais do período pós-operatório. O sucesso de muitas cirurgias plásticas depende da atenção que a pessoa dedica à recuperação, inclusive a longo prazo.

Ciente de tudo o que envolve a cirurgia plástica, é possível decidir se é melhor realizá-la ou não e de os resultados serem mais satisfatórios devido a maior dedicação a todos os cuidados indispensáveis.