Cirurgia de transplante capilar: tire suas dúvidas

Cirurgia de transplante capilar: tire suas dúvidas

15/10/2016

Existem várias teorias populares que tentam explicar a calvície. Algumas dizem que ela é causada pela má circulação no couro cabeludo, por deficiência de vitaminas, pela caspa e até pelo uso excessivo de chapéu, boné ou touca. Outras afirmam que a perda de cabelo está associada à calvície do avô materno e que homens de 40 anos que nunca tiveram queda de cabelo não serão calvos. Todas estas hipóteses já foram desmistificadas. A queda de cabelo decorre, principalmente, da combinação de fatores como envelhecimento, alteração hormonal e histórico familiar. Também pode ser causada por queimaduras ou trauma. O transplante capilar atua como solução para a calvície e já é realizado há mais de 30 anos por cirurgiões plásticos.

A cirurgia de transplante capilar pode ser vantajosa, mas é preciso entender alguns fatores cruciais sobre o procedimento antes de decidir submeter-se a ele. As técnicas de transplante capilar usam cabelo do próprio paciente, pois o objetivo é melhorar a distribuição do cabelo já existente.

Bons candidatos à cirurgia devem ter crescimento capilar saudável na parte de trás e nas laterais da cabeça para que estas sirvam como áreas doadoras (regiões de onde os enxertos e retalhos serão retirados). Fatores como a cor do cabelo, a textura e o grau de ondulação podem afetar o resultado final.

Como o transplante capilar é feito?

O transplante de cabelo envolve a remoção de pequenos enxertos de uma área doadora e a recolocação destes em uma área sem ou com pouco cabelo. Várias sessões cirúrgicas podem ser necessárias e o intervalo entre uma e outra é de vários meses. Nesse período, ocorre a cicatrização.

O cabelo “novo” cai em até seis semanas e isso é perfeitamente normal. Após essa queda, serão necessárias mais cinco ou seis semanas até que o cabelo volte a crescer. Depois disso, os fios implantados dificilmente voltam a cair, porque carregam a bagagem genética de uma região mais resistente.

Existem várias técnicas disponíveis para realizar o transplante capilar e que são frequentemente aprimoradas. Às vezes, duas ou mais são usadas em conjunto para obter melhores resultados. Métodos como enxertos com punch (um instrumento parecido com um tubo, feito de aço carbono afiado que perfura o enxerto e o remove da área doadora), minienxertos, microenxertos e enxertos de unidades foliculares são, geralmente, realizadas em pacientes que desejam uma mudança mais discreta no volume do cabelo. O uso de retalhos, a expansão tecidual e a redução do couro cabeludo são procedimentos indicados quando a situação é mais grave. Indivíduos com pouco cabelo não são aconselhados a submeter-se à cirurgia de transplante capilar.

Na primeira consulta, o cirurgião plástico avalia o crescimento e a queda do cabelo do paciente. Condições médicas que podem causar problemas durante ou após a cirurgia, como hipertensão, problemas de coagulação ou tendência a desenvolver quelóide, também são verificadas pelo médico.

É importante ter em mente que os resultados não são totalmente previsíveis e que pode levar até dois anos para que se note o resultado final. Pode haver infecção, sangramento excessivo e/ou cicatrizes largas. Em procedimentos de transplante, existe o risco de alguns enxertos não crescerem.

Vale ressaltar que o paciente nunca terá a mesma abundância de cabelo como antes de perdê-lo e que a cirurgia apenas ajuda a camuflar as áreas deficientes. O procedimento pode ser feito por pessoas acima de 25 anos e deve ocorrer na mesma direção e no mesmo ângulo dos fios que caíram.

Queda de cabelo em mulheres

Alguns médicos estimam que uma em cada cinco mulheres apresenta algum grau de queda de cabelo. As causas são as mesmas dos homens, a diferença é que a diminuição de cabelo tende a ser sutil por todo o couro cabeludo, e não em tufos. Medicamentos tópicos às vezes são bem-sucedidos no tratamento, mas eles simplesmente impedem a queda de cabelo, sem estimular o crescimento.

Para certificar-se sobre a opção cirúrgica mais adequada ao seu caso, o/a paciente deve procurar um cirurgião plástico especializado e com experiência na realização de todos os tipos de técnicas de transplante capilar.