Adolescentes podem fazer cirurgia plástica?

Adolescentes podem fazer cirurgia plástica?

18/01/2017

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o período da adolescência vai dos dez aos 20 anos e compreende o período de transição entre a infância e a idade adulta. É marcado por diversas transformações corporais, hormonais e comportamentais. Não é de se admirar, portanto, que muitos adolescentes manifestem o desejo de alterar algo em seu corpo através da cirurgia plástica em um momento de tantas dúvidas e vivendo em uma sociedade que incentiva a busca pela perfeição a qualquer custo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o número de adolescentes entre 13 e 18 anos que realizam cirurgias plásticas tem crescido nos últimos anos. Entre os fatores que influenciam estão a opinião de amigos e o padrão de beleza imposto por desfiles de moda, novelas e campanhas publicitárias. A adolescência é a fase de construção da personalidade, em que a autoestima, a vontade e a necessidade de sentir-se bem são aspectos importantes e, frequentemente, determinantes na decisão de realizar uma cirurgia plástica.

As cirurgias mais procuradas são as de mama (redução, aumento e ginecomastia), lipoaspiração, rinoplastia e otoplastia. Dentre estas, apenas a rinoplastia e, eventualmente, a redução de mama são destinadas a corrigir problemas de saúde.

Entretanto, não basta querer. Antes de qualquer decisão, é fundamental que a(o) jovem, acompanhada dos pais ou responsáveis, procure um cirurgião plástico para discutir detalhadamente sua intenção, avaliar suas expectativas e confrontá-las com o resultado possível de ser obtido. É necessário avaliar o tipo de cirurgia que a(o) adolescente deseja, sua idade e a maturidade corporal e emocional. Adolescentes podem fazer cirurgia plástica, mas há muitos fatores a serem levados em conta.

Quando adolescentes podem fazer cirurgia plástica

Em alguns casos, é necessário estar com o corpo totalmente formado para se submeter a uma operação plástica. Cirurgias de mamas, por exemplo, são indicadas apenas quando as jovens atingem pelo menos 80% de seu crescimento total. Essa análise pode ser feita por meio da idade óssea e da estatura dos pais e parentes de primeiro grau. A idade da primeira menstruação, tratamento ortodôntico em curso e exames hormonais nos meninos também são avaliados.

Os riscos da cirurgia plástica realizada em adolescentes são os mesmos de qualquer procedimento. O que pode ser diferente é a chance de frustração por expectativas não realistas, causadas pela personalidade ainda em formação da adolescente. É fundamental que a estrutura psicológica da paciente esteja preparada para encarar e aceitar a mudança de imagem que a cirurgia proporciona. Por isso, adolescentes podem fazer cirurgia plástica quando as expectativas são realistas e estão saudáveis física e emocionalmente.

A recomendação geral é aguardar até os 18 anos, para que haja um amadurecimento maior da(o) paciente e do desejo pela cirurgia plástica. Adolescentes podem fazer cirurgia plástica no momento em que há total compreensão dos riscos e maturidade para encarar as fases do procedimento, porque a preparação e o pós-operatório de qualquer cirurgia exigem disciplina e responsabilidade. Além disso, é preciso consultar vários profissionais, de diferentes áreas, para que se possa ter segurança na realização e na indicação da cirurgia.

Existe idade mínima para fazer cirurgia plástica?

De acordo com o ex-presidente da SBCP, José Horácio Aboudib, não existe uma norma que defina qual a idade mínima para se submeter à cirurgia plástica. Cada caso tem de ser avaliado separadamente, porque a idade não é o mais importante, mas sim a avaliação da evolução física da(o) paciente, o nível de crescimento e maturação.

Entretanto, essa ainda é uma questão polêmica. Muitos médicos sustentam o argumento de que os adolescentes estão em fase de transformação e, por isso, não é hora de mudar o corpo. Existe, também, o fator emocional (o adolescente é, em geral, imediatista e isso inclui a ansiedade por mudanças no corpo).

Cada tipo de cirurgia tem um tempo que deve ser respeitado. A realização de uma cirurgia antes da idade indicada deve ser avaliada pelo cirurgião em conjunto com a paciente e seus responsáveis. É fundamental que os pais acompanhem de perto todo o processo e estejam conscientes. A família precisa participar das consultas, dos exames do pré-operatório e da recuperação. Para menores de idade, é necessário assinar uma autorização para realização da cirurgia.

Confira, a seguir, a idade mínima recomendada para os procedimentos mais procurados:

Lipoaspiração

Só pode ser feita após os 18 anos. Em muitos casos, é necessário consultar um psicólogo ou psiquiatra, para analisar se a jovem não sofre de desvios de imagem corporal.

Cirurgia de orelha (otoplastia)

As orelhas param de crescer entre cinco e seis anos. Portanto, se a criança estiver sofrendo bullying, o que pode atrapalhar seu desenvolvimento social e emocional, a cirurgia pode ser feita a partir dessa faixa etária.

Cirurgia de nariz (rinoplastia)

Aconselha-se a fazê-la após os 16 anos, principalmente se há problema de septo que force o jovem a respirar pela boca. Contudo, se o jovem estiver usando aparelho ortodôntico, a recomendação é realizar a cirurgia somente quando o tratamento for concluído.

Redução de mamas

Depende do caso e, por isso, é importante ouvir a opinião de um ginecologista. Além disso, é necessário levar em consideração que tipo de problema a condição está causando. A cirurgia é, em geral, considerada necessária quando a situação compromete a respiração ou causa danos à coluna.

Aumento de mamas

Também varia de acordo com o caso. Um mastologista deve ser consultado para que analise se a paciente ainda terá desenvolvimento das glândulas mamárias. A escolha do tamanho das próteses deve considerar, como em todos os casos, a proporção do tórax, peso, altura, elasticidade da pele e vontade da paciente. Porém, também deve considerar as futuras trocas que essa paciente provavelmente terá.