Acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica

Acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica

22/05/2017

Mudanças no corpo estão diretamente ligadas a mudanças na mente. Existem vários aspectos da personalidade que influenciam na percepção dos resultados obtidos com uma cirurgia plástica. Na maior parte dos casos, as expectativas e os desejos interferem bastante em como a(o) paciente recebe esses resultados. Por isso, a avaliação e o acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica têm o objetivo de auxiliar nas dificuldades que podem aparecer após o tratamento, reduzindo o grau de ansiedade e ajudando a(o) paciente a alcançar uma boa autoestima.

Muitas pessoas acreditam que, depois do procedimento, todos os problemas particulares serão resolvidos e que o resultado será imediato. O acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica incentiva a(o) paciente a perceber que deve seguir todas as recomendações à risca, mesmo que seja preciso esperar um certo tempo para ver o resultado desejado.

Algumas vezes, é necessário que esse acompanhamento inicie ainda antes da cirurgia. No pré-operatório, o atendimento psicológico serve para que a(o) paciente expresse suas motivações, insatisfações, desejos, fantasias, expectativas e sentimentos em relação à cirurgia a ser realizada. A autoestima é parte fundamental do trabalho, por isso, as primeiras consultas servem para que o psicólogo e o cirurgião tenham certeza sobre a segurança da(o) paciente quanto à cirurgia. A psicologia ajuda no tratamento, no sentido de avaliar o grau de ansiedade da(o) paciente e as razões pelas quais deseja se submeter ao procedimento.

O simples fato de a(o) paciente poder conversar com alguém especializado sobre suas demandas emocionais faz do atendimento psicológico um recurso interessante para a aquisição de maior tranquilidade e confiança.

É importante que o acompanhamento também seja feito com familiares, acompanhantes e cuidadores, porque a cirurgia de um ente próximo pode despertar ansiedade e sentimentos ambíguos (culpa, dívida, inveja, ciúme inconsciente, entre outros). Esses sentimentos, principalmente a ansiedade, podem ser “contagiosos” na interação da(o) paciente com a família.

Acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica é um suporte ao período pós-operatório

Quando a comunicação entre a(o) paciente e o cirurgião é construída em conjunto, e não imposta por uma ou ambas as partes, há uma maior capacidade para suportar e vivenciar alguns desconfortos que fazem parte do processo de recuperação. A ansiedade é, também, característica marcante do pós-operatório, quando, por exemplo, a(o) paciente acorda depois do procedimento e se vê com curativos, cintas e pontos, ou pelo medo da dor no dia da retirada das suturas, ou, então, na primeira vez em que se olha no espelho e vê algo que ainda não é o resultado almejado.

O acompanhamento psicológico no pós-operatório ajuda a desenvolver a capacidade de ter paciência e de suportar as sensações e emoções desconfortáveis. Também pode ajudar a prevenir algumas sabotagens inconscientes.

Além do trabalho com a autoestima, o acompanhamento psicológico depois da cirurgia plástica é indicado para manutenção dos resultados pós-operatórios. Às vezes, a(o) paciente tem dificuldades para alcançar ou manter o resultado desejado e isso pode ter a ver com fatores psicológicos, como ansiedade e baixa autoestima.