Benefícios da cirurgia plástica para acabar com a enxaqueca

Benefícios da cirurgia plástica para acabar com a enxaqueca

15/11/2017

Acabar com a enxaqueca é, provavelmente, o desejo de todas as pessoas que sofrem com ela. A condição afeta em torno de 15% da população brasileira, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). A entidade afirma, ainda, que a enxaqueca é uma das doenças mais incapacitantes que acometem o ser humano.

A enxaqueca se caracteriza por crises fortes de dor de cabeça que duram horas, até mesmo dias, e que podem se manifestar juntamente com:

  • enjoo;
  • vômitos;
  • tontura;
  • fadiga;
  • mudanças de apetite;
  • fotofobia (aversão à luminosidade);
  • aversão a barulhos e cheiros;
  • visão embaçada;
  • visão de pontos luminosos;
  • cegueira parcial;
  • fala embaralhada;
  • “formigamento” na face e no corpo;
  • dor intensa e pulsante, normalmente em apenas um dos lados da cabeça.

Infelizmente, trata-se de uma condição crônica. E todas as doenças crônicas se manifestam por longos períodos e não tem cura, na maioria dos casos. Na enxaqueca, especificamente, a primeira crise ocorre em um determinado momento da vida e depois pode se repetir, indo e vindo, por tempo indeterminado.

Cirurgia plástica para acabar com a enxaqueca

Com o avanço da medicina e dos seus resultados, atualmente, existe uma técnica que envolve em torno de duas horas de cirurgia e uma noite de repouso para eliminar os sintomas da enxaqueca. Não há uma denominação específica para o tratamento, podendo ser chamada de cirurgia para a enxaqueca.

A intervenção é realizada com anestesia local e com internação de um dia, apenas. O percentual de desaparecimento dos sintomas ou diminuição importante da frequência, duração e gravidade das crises foi de aproximadamente de 90% nos pacientes tratados.

A técnica consiste em um procedimento minimamente invasivo que secciona pequenos músculos localizados em determinadas partes do crânio. Com apenas uma incisão de poucos centímetros e o uso de um endoscópio particular, é possível estimular e descomprimir os nervos que são gatilhos para as crises de enxaqueca.

Como é feita a cirurgia plástica para acabar com a enxaqueca?

Existem quatro tipos de cirurgia plástica para acabar com a dor de cabeça. A escolha irá depender do local de início das dores. Contudo, em todos os tipos, o princípio é a descompressão e liberação dos ramos nervosos frontais ou posteriores do crânio, que são irritados por estruturas próximas, ao longo de seu trajeto.

Para cada um dos tipos de dor existem acessos diferentes para tratar os ramos do nervo, sendo todos nas áreas superficiais da face ou couro cabeludo, ou, ainda, na cavidade nasal. Cada cirurgia foi desenvolvida para gerar a menor alteração possível no local.

Quem está apto para realizar a cirurgia?

A cirurgia plástica para acabar com a dor de cabeça é recomendada para qualquer paciente que receba o diagnóstico da doença e que manifeste duas ou mais crises por mês. Outra condição é que estas crises cessem com o uso de medicação, ou que o paciente tenha intolerância aos remédios e seus efeitos colaterais.

Também estão aptos os pacientes que desejam realizar o procedimento por causa do elevado comprometimento que os sintomas da enxaqueca causam em sua vida pessoal e profissional.